Professor e especialista em digital learning, onde as minhas atividades se centram na área da tecnologia educativa dirigida às escolas, desde a informática ligada ao hardware, redes e na produção de conteúdos.

Esta área da produção de conteúdos é, de resto, a que mais me entusiasma e na qual procuro concentrar os maiores esforços, em particular os conteúdos ligados ao vídeo e tv, linguagens com muito potencial e uma rápida curva de aprendizagem, o que significa pouco investimento de tempo para os professores.

A partir de 2003 dediquei-me também ao design instrucional no e-learning, produzindo e ensinando a produzir, materiais para as escolas que foram disponibilizados nas várias instâncias de Moodle que as escolas possuem.

Na área do e-learning investi também um pouco na investigação, por força do mestrado que fiz na Universidade Católica e que me permitiu aprofundar um tema que já trazia em mira desde trabalho final de um CESE em Informática e Educação que tinha feito antes. Era o tema da eficácia das aprendizagens on-line síncrono versus assíncrono.

Ao longo destes tempos também fui também formador na área das TIC, tanto de professores como fora do ensino. A partir de 2005 comecei a dirigir os cursos e oficinas que dinamizei para a modalidade de b-learning.

Em 1996 ajudei a lançar a “wEbi” um projeto que concebido quando lecionava numa escola básica integrada e consistia na criação de uma rede social entre as escolas do Alentejo da mesma tipologia onde, através da internet, as escolas interagiam, trocando experiências e materiais no sentido de se criar um corpo teórico-prático que ajudasse a definir o modelo da escola básica integrada (do pré-escolar ao 9º ano).

Por estas alturas envolvi-me num projeto pessoal onde criei uma escola de informática móvel para crianças, a Idade Virtual. Esta pequena empresa foi um caso de sucesso num período de escasso acesso aos computadores e menos ainda à Internet. Trabalhámos com crianças a partir dos 3 anos em jardins-de-infância por todo o sul e centro de Portugal, levando um projeto didático de exploração da multimédia e da internet a locais que doutra forma ficariam excluídos. Esta escola itinerante tinha acesso à internet via satélite VSAT. Foi com esta solução que fomos escolhidos pelo projeto “Internet na Escola” do Ministério da Ciência e Tecnologia, para andarmos por todo o país com o que se chamou “Netmóvel”.

  • Students
    13
  • Courses
    1
  • Reviews
    4

Courses taught by Jorge Mata