Neurotrainer - Torne-se Trainer, (um Treinador) de Sucesso
4.8 (7 ratings)
Course Ratings are calculated from individual students’ ratings and a variety of other signals, like age of rating and reliability, to ensure that they reflect course quality fairly and accurately.
54 students enrolled

Neurotrainer - Torne-se Trainer, (um Treinador) de Sucesso

Torne-se um especialista na arte de ensinar e desenvolver pessoas e transforme palavras em negócios.
4.8 (7 ratings)
Course Ratings are calculated from individual students’ ratings and a variety of other signals, like age of rating and reliability, to ensure that they reflect course quality fairly and accurately.
54 students enrolled
Created by Luis Lindner
Last updated 7/2020
Portuguese
Portuguese [Auto]
Current price: $139.99 Original price: $199.99 Discount: 30% off
5 hours left at this price!
30-Day Money-Back Guarantee
This course includes
  • 20.5 hours on-demand video
  • 31 downloadable resources
  • Full lifetime access
  • Access on mobile and TV
  • Certificate of Completion
Training 5 or more people?

Get your team access to 4,000+ top Udemy courses anytime, anywhere.

Try Udemy for Business
What you'll learn
  • Ser um especialista na arte de ensinar e desenvolver pessoas, um treinador de sucesso que transforma palavras em negócios.
Requirements
  • Não há pré-requisitos
Description

Torne-se um treinador de alto impacto e transforme sua expertise de compartilhar conhecimentos em um negócio rentável através da comunicação persuasiva.

Quantas vezes você se sentiu:

  • Travado, ansioso, suando frio, como se não tivesse forças para controlar suas ações em frente as pessoas?

  • Com medo de falar algo e desmotivar toda a sua plateia, a ponto das pessoas levantarem e irem embora?

  • Inseguro com a ordem na qual você vai montar sua palestra ou apresentação, e se ela vai fazer sentido para seu público?

Essa formação é indicada para você que não quer ser apenas um palestrante, mas sim um trainer com notoriedade e fazer carreira.

O segredo para treinar outras pessoas são as estratégias e recursos por trás de cada movimento que eles fazem, e neste curso, você terá acesso ao que há de mais recente e avançado para se tornar um Neurotrainer, além de recursos para a  efetividade em sua comunicação e oratória. Neste curso teremos técnicas, conhecimentos provenientes dos melhores especialistas em oratória, Neurociência e de Programação Neurolinguística para que você reedite seus medos e bloqueios, desenvolva sua inteligência emocional e consiga influenciar seus ouvintes . Os resultados desde que aplicados, são rápidos e visíveis, e impactará sua vida profissional, pessoal, seus clientes e negócios, resultando em maior prosperidade na sua área de atuação. Em uma Era de Abundância e de Exponencialidade, saber se comunicar e influenciar a outros com suas idéias, é sem dúvida uma competência imprescindível.

Esta formação também disponibiliza slides de palestras que já foram ministradas com ótimos resultados, e que poderão ser usadas para que você inicie sua carreira como palestrante. A Modelagem da Excelência Humana Aplicadas a Palestras, Comunicação e Oratória (Neurociência e PNL (NLP))

Importante: O diferencial desta formação é que além da tecnologia de vanguarda, todo o conteúdo apresentado é filmado e fruto de mais de duas décadas de atendimentos a pessoas e empresas, e aplicado em sala de aula com a pessoas reais na solução de problemas também reais, e com resultados reais, objetivando alavancar suas vidas e carreiras. Não se trata apenas de teorias que não resistem a realidade das dificuldades dos contextos profissional ou pessoal, mas de técnicas que você verá em tempo real se mostrando efetivas em resolver bloqueios e limitações, e aumentar rapidamente os resultados nas mais diversas áreas da vida das pessoas que ali estão.

Who this course is for:
  • Ministrantes de Cursos, Coachs, Terapeutas, Consultores e demais interessados em se tornar especialista na arte de ensinar e desenvolver pessoas
Course content
Expand 27 lectures 20:16:40
+ Introdução
27 lectures 20:16:40

Oratória para o Neurotrainer

Para você conseguir se tornar um Neurotrainer, a primeira habilidade que você precisa é a capacidade de ser efetivo em sua comunicação, além de estabelecer uma conexão com a plateia. Também precisa desenvolver uma linguagem persuasiva para ser muito mais perspicaz durante as palestras, os treinamentos e workshops que você deseje ministrar. E para isso surgiu a formação Neurotrainer, integrando os mais modernos recursos da Programação Neurolinguística, Neurociência e Oratória, para garantir que você possa se tornar um ótimo ministro de cursos, palestras e treinamentos.

Sobre a Programação Neurolinguística

A Programação Neurolinguística é conhecida como uma Modelagem da Excelência Humana, e através do desenvolvimento direto desenvolvido em conjunto com as melhores instituições do mundo na área de desenvolvimento humano, Coaching e PNL, você terá acesso ao que há de mais recente a avançado para melhorar a efetividade em sua comunicação e se tornar um Trainer, orador e palestrante de impacto. Os resultados são rápidos e visíveis, e impactará sua vida profissional, pessoal, seus clientes e negócios, resultando em maior prosperidade na sua área de atuação.

Preview 33:45

A voz determina a própria personalidade de quem fala. Se estamos alegres, tristes, apressados, seguros etc., a primeira identificação destes comportamentos é transmitida pela voz. Por que será que a voz reflete com tanta nitidez o que se passa no interior das pessoas? É possível usar isso a favor do orador? Estas perguntas serão respondidas nesta aula.

Oratória para o Neurotrainer 02
52:26

A velocidade da voz representa a fluência da fala e relaciona-se com a coordenação e o controle da corrente de ar e articulação dos sons da fala. (BEHLAU, 2001). O ritmo ou velocidade de fala normalmente está na faixa de 130 a 180 palavras por minuto; deve-se procurar uma velocidade média. O ritmo acelerado pode prejudicar a precisão dos sons emitidos, porque não há tempo para fazer todos os movimentos necessários à perfeita articulação (COTES; FEIJÓ; KYRILLOS; 2003). A articulação deve ser clara e precisa, não deve haver troca de sons, nem distorções ou imprecisões que dificultem a compreensão.

Oratória para o Neurotrainer 03
42:42

Dicção na Oratória, é maneira como uma pessoa articula ou pronuncia as palavras. As pessoas que possuem uma boa dicção têm a capacidade de pronunciar as palavras de forma clara e correta o que facilita a compreensão e a comunicação.

Oratória para o Neurotrainer 04
32:24

ENTUSIASMO, Energia gera energia, energia contagia… O vocábulo tem origem do termo grego “enthousiasmos”, que significa “ter um deus interior” ou “estar possuído por Deus”. Aos poucos, essa atribuição foi se perdendo, até chegar ao sentido atual do termo.

Oratória para o Neurotrainer 05
33:10

A postura na fluência da apresentação não influencia somente na imagem que as pessoas têm do palestrante. A organização adequada do corpo também influencia na capacidade de comunicação do orador e em sua facilidade para transmitir sua mensagem.

Para compreender melhor esse processo, recorremos à analogia de um veículo: se alguma das partes para de funcionar ou opera de maneira defeituosa, o carro inteiro irá padecer. Se há um problema no escapamento, por exemplo, isso afeta a potência do veículo, que aumenta o consumo de combustível, o desgaste das rodas e assim por diante.

Em relação à oratória funciona da mesma forma. O orador também tem um sistema que precisa “montar”, que nesse caso é sua postura. A postura é a posição adequada do corpo, que permite ao orador cumprir a tarefa de falar em público.

A posição dos pés e das mãos

Assim, as pernas e os pés precisam estar naturalmente abertos, isto é, não afastador em exagero ou “colados” entre si. O posicionamento dos membros inferiores afeta o equilíbrio do orador, o que é algo sumamente importante tanto fisicamente quanto psicologicamente. É indicado que os pés estejam apontados para frente na medida do possível.

Os ombros precisam estar sempre relaxados. Vocalistas e cantores sabem que é muito mais difícil “soltar” a voz se essa região está contraída ou tensa. Assim, para alcançar esse patamar, é necessário que as mãos estejam corretamente posicionadas, repousadas uma sobre a outra, mais ou menos à altura do umbigo.

Ao posicionar mãos e os braços dessa maneira, “soltamos” naturalmente o músculo trapézio (aquele que acumula nossas tensões do dia a dia), contribuindo também para o relaxamento o pescoço e permite então a fluência da fala.

Como em toda prática é necessário treinamento para assimilar e exercitar essa forma de posicionar o corpo, para aplicar a postura de maneira natural e para que o orador tenha sucesso na comunicação com o público.

Oratória para o Neurotrainer 06
40:56

Nesta aula, você verá os conteúdos apresentados na prática e SUGESTÕES FINAIS…

Oratória para o Neurotrainer 07
39:48

Neurotrainer - Neurociência e Programação Neurolinguística

Maximize seu nível de desempenho e excelência como Neurotrainer através dos recursos e fundamentos da Programação Neurolinguística. Nela você receberá insights do funcionamento do cérebro para alcançar seus objetivos e obter maior influencia como um especialista no desenvolvimento de pessoas.

A metodologia desenvolvida nos Estados Unidos por Richard Bandler e John Grinder, e nesta aula fundamentada neurocientificamente pelo Trainer Luis Lindner e mais seu know-how de duas décadas de atendimentos a clientes, ajudará você a ter uma melhor compreensão de como funciona seu cérebro e o do seu cliente, e ajudará  você a ser mais efetivo ou efetiva, e, também no entendimento das aulas seguintes.

Neurotrainer - Neurociência e Programação Neurolinguística
01:18:21

Rapport para o Neurotrainer - Estabelecimento de uma relação com o cliente

Rapport é a base para qualquer interação significativa entre duas ou mais pessoas - seja ela relacionada a vendas, negociação, fornecer informações ou instruções a um colega de trabalho, subordinado ou chefe, uma conversa com um membro da família, treinamento, coaching, etc.

O rapport pode ser explicado de várias maneiras. Para mim, rapport é o estabelecimento de um ambiente de confiança, compreensão, respeito e segurança, o que dá à pessoa total liberdade de expressar as suas ideias e preocupações e saber que serão respeitadas pela outra pessoa. O rapport cria o espaço para a pessoa sentir-se ouvida e escutar, e isso não significa que ela tenha que concordar com o que a outra pessoa disser ou fizer. Cada uma das pessoas reconhece o ponto de vista da outra e respeita o respectivo modelo de mundo.

Quando você está em rapport com outra pessoa, você tem a oportunidade de entrar no mundo dela e ver as coisas a partir da perspectiva dela, sentir como ela se sente, obter uma melhor compreensão de onde ela está vindo, e como resultado, melhorar todo o relacionamento.

O que observamos nas pessoas que estão em rapport?

Você já reparou que quando as pessoas gostam de estar uma com a outra, elas têm a tendência de usarem as mesmas palavras ou frases, se vestirem de forma semelhante ou combinarem a linguagem corporal? Por exemplo, observe um grupo de adolescentes que são amigos e note as semelhanças em suas roupas, a escolha das palavras e de como caminham ou se sentam.

Você já reparou que as pessoas que não estão em rapport têm gestos, tom de voz, posturas diferentes, ou não fazem contato visual? Nunca teve a oportunidade de observar alguém (ou você mesmo) que não queria participar de uma reunião ou que não confiava nas outras pessoas presentes na reunião? Percebeu a diferença na linguagem corporal dele, no tom de voz, onde se senta, etc., em comparação com as outras na reunião?

Da próxima vez que você estiver em um restaurante ou em uma recepção, olhe ao redor e descubra as pessoas que estão desfrutando a companhia das outras exibindo posturas, gestos e tom de voz semelhantes. O que foi dito acima ilustra bem - quanto mais gostamos de outra pessoa, mais escolhemos ser igual a ela.

Para uma outra perspectiva sobre o rapport, considere o seguinte:​

Você estava longe de casa e conheceu alguém que nunca tinha visto antes, e descobriu que ele é da sua própria cidade ou foi para a mesma Universidade que você, ou que está interessado no mesmo esporte, ou que os dois gostam do mesmo tipo de música? O que acontece? Em pouco tempo, vocês estão em uma conversa muito animada, procurando experiências em comum - ou seja, já foi no restaurante tal, ou jogou golfe em tal lugar ou já ouviu a última canção do cantor tal.

Por outro lado, você já foi a uma festa ou um evento em que o traje era formal e você pensou que era casual? Ou já foi a um restaurante e todos na sua mesa foram servidos, menos você? Como se sentiu? Deslocado? Que não era bem-vindo? Que estava no lugar errado? Que não era como os outros?

Isso ilustra o conceito - quanto mais somos como a outra pessoa (ou mais temos em comum), mais gostamos dela. O rapport é fundamental para tudo que você faz na empresa, em casa ou no lazer.

Estabelecendo o Rapport

A chave para estabelecer o rapport é a capacidade de entrar no mundo da outra pessoa, assumindo um estadode espírito semelhante. A primeira coisa a fazer é se tornar mais como a outra pessoa combinando e espelhando o comportamento dela - linguagem corporal, voz, palavras, etc. Combinar e espelhar são formas poderosas de se obter uma apreciação de como a outra pessoa está vendo/experimentando o mundo (isso é chamado de segunda posição - tema do artigo sobre as Posições Perceptivas).

Os termos combinar e espelhamento são usados um no lugar do outro por alguns Practitioners de PNL, enquanto outros formulam as seguintes distinções: O espelhamento é como se você estivesse olhando para um espelho. Para espelhar uma pessoa que levantou a mão direita, você levanta a sua mão esquerda (ou seja, imagem de espelho). Para combinar essa mesma pessoa, você levanta a sua mão direita (fazendo exatamente o mesmo que a outra pessoa). Alguns Practitioners veem uma diferença no tempo entre espelhar e combinar. Por exemplo, se alguém faz gestos com as mãos enquanto está falando, você espera a sua vez de falar antes de fazer gestos de mão semelhantes (combinar).

Eu não faço uma grande distinção entre os dois e irei me referir ao combinar e espelhamento como combinar. Quando combinar, você primeiro deve se concentrar na linguagem corporal, depois na voz e, finalmente, nas palavras da pessoa. Por quê? Mehrabian e Ferris (Inferência da atitude de comunicação não verbal em dois canais, Jornal do Conselho de Psicologia, vol. 31, 1967) descobriu que 55 por cento do impacto de uma apresentação é determinada pela sua linguagem corporal, 38 por cento pela sua voz e apenas 7 por cento pelo conteúdo ou palavras que você usou.

A linguagem corporal inclui a postura corporal, expressões faciais, gestos, respiração e contato visual. Como um iniciante, comece por combinar um comportamento específico e assim que estiver confortável fazendo isso, aí sim combine outro comportamento e assim por diante.

Para a voz, você pode combinar a tonalidade, a velocidade, o volume, o ritmo e a clareza da fala. Todos nós podemos variar vários aspectos da nossa voz e temos um intervalo em que nos sentimos confortáveis. Se alguém fala muito rápido, muito mais rápido do que você e em um padrão no qual você não se sente confortável, combine essa pessoa, falando mais rápido, embora permaneça dentro de um intervalo confortável para você.

Para as palavras, combine os predicados. Se o seu parceiro estiver usando principalmente palavras visuais, você deve usar principalmente as palavras visuais e, do mesmo modo, quando for o caso, palavras auditivas, cinestésicas e auditivas digitais. Na medida do possível, você também deve usar as mesmas palavras que a outra pessoa. Por exemplo, eu posso dizer que algo é "impressionante". Em seu modelo de mundo, você pode interpretar "impressionante" como "excepcional" e usar essa palavra quando falar comigo. Para mim "excepcional" pode ter um significado diferente ou evocar um sentimento diferente do que "impressionante". Nesse caso, você não estaria combinando, mas diferenciando as minhas palavras.

Algumas pessoas acham desconfortável a ideia de combinar outra pessoa e elas sentem que estão tentando enganar ou tirar proveito da outra pessoa. Para superar esse mal-estar, perceba que combinar é uma parte natural do processo de construção de rapport e que você está fazendo isso inconscientemente, todos os dias, com a sua família e amigos. Aumente gradualmente a cada dia o seu uso consciente de combinar em um ritmo que seja confortável e ético para você. Combinar feito com integridade e respeito cria sentimentos positivos e reações em você e nos outros. Rapport é a capacidade de entrar no mundo de alguém, fazê-lo sentir que você o compreende e que há uma forte ligação entre os dois.

Equiparação cruzada e diferenciar

Equiparação cruzada é onde você combina um dos comportamentos da outra pessoa com um correspondente, mas num movimento diferente. Se o padrão de respiração da pessoa é muito mais rápido ou mais lento do que seria confortável para você combinar, você pode combinar o mesmo ritmo da respiração por um movimento de balanço do seu corpo, ou movendo o pé ou um dedo no mesmo ritmo. A equiparação cruzada é útil se você deseja estabelecer rapport com alguém que está em um estado muito sem recursos (por exemplo, depressão) e você não quer assumir esse estado – lembre-se do Modelo de Comunicação da PNL, a sua fisiologia influencia os seus pensamentos e, consequentemente, o seu estado.

O diferenciar é uma habilidade útil para se dominar. Às vezes, você está muito profundo no rapport com outra pessoa para tomar uma decisão sem que a outra pessoa influencie você excessivamente. Nesse caso, é preciso quebrar o rapport para obter algum espaço para pensar. Para fazer isso, você diferencia. Isso pode ser feito de várias maneiras. Você pode quebrar o contato visual olhando para o seu relógio ou retirar uma penugem imaginária do seu braço. Se os dois estão sentados, você pode se levantar. Você pode optar por diferenciar com a sua voz, falando mais rápido ou mais alto ou pode diferenciar os predicados. Pratique

Você pode querer começar com os membros da sua família e começar a combinar diferentes aspectos da postura, gestos, voz e palavras deles. Divirta-se com isso e veja se eles percebem o que está fazendo. No trabalho ou socialmente, comece por combinar um comportamento específico e assim que estiver confortável fazendo isso, aí então, combine outro comportamento. Com os amigos com quem você realmente se sente confortável, observe quantas vezes você naturalmente combina as posturas, gestos, tom de voz ou as palavras deles. Combinar vem naturalmente, o que você precisa fazer é aprender a fazer isso com todos, então combinar será automático sempre que você desejar aprofundar o seu rapport com alguém.

O artigo acima foi traduzido na íntegra do original sob o título "Rapport" que se encontram no site da Renewal Technologies.

Rapport para o Neurotrainer - Estabelecimento de uma relação com o cliente
30:20

PENSAR CORRETAMENTE

A grosso modo, simplificando uma série de processos complexos, pensar é fazer e responder perguntas, mas há um critério importante para isso: A direção em que as perguntas te movem...

APRENDA A FAZER AS PERGUNTAS CERTAS.

Uma pergunta muito comum por pessoas que estão carentes de sentido e que podem trazer péssimas respostas:

O que há de errado comigo?

Essa pergunta não possui lógica, pois ela foca em procurar problemas e não soluções, e acessa memórias que muitas vezes podem levá-lo a um estado sem recursos.

Como perguntar corretamente?

As perguntas certas devem mover você na direção de superação de seus obstáculos, em vez de move-lo a inquerir o porque dos mesmos.

Processos Cognitivos para Neurotrainer
39:18

Tétrade na construção dos estados emocionais

Com a PNL aprendemos que você pode sentir-se bem no momento que desejar, basta usar seus recursos para resgatar o “Eu” nos focos de tensão através de suas Âncoras. Mas o que é O que é Programação Neolinguística - PNL? É o estudo da estrutura da experiência subjetiva. Ela estuda os Padrões (“programação”) criados pela interação entre o cérebro (“neuro”), a linguagem (“lingüística”) e o corpo (“fisiologia”).

A PNL estuda como o cérebro e a mente funcionam, como criamos nossos pensamentos, sentimentos, estados emocionais e comportamentos, e como podemos direcionar e otimizar esse processo. Em outras palavras, ela estuda como o ser humano funciona e como ele pode escolher a maneira que quer funcionar.

Na PNL também aprendemos que cada um de nós é responsável pelo seu estado emocional. Se estamos alegres ou tristes, desanimados ou entusiasmados, isso não caiu de paraquedas, somos nós que estamos criando isso através da tétrade que é a fonte dos estados.

Nossos estados, sentimentos e emoções são criados por uma tétrade : nossa fisiologia (corpo), nossa linguagem (palavras), o que nós falamos, o foco de nosso pensamento e as nossas crenças ou convicções.

O estado emocional em que estamos determina nosso comportamento, portanto a mudança ocorre através da alteração de um ou mais elementos da tétrade. Esse conhecimento pode nos tirar do papel de vítima e nos tornar mais proativos e mais no controle da nossa própria vida.

Tétrade na construção dos estados emocionais
24:24

Resgate do eu e estado de presença

O estado de presença do Dr. Richard Moss também pode ser usado como uma âncora para um estado emocional de tranquilidade. Em menos de 2 minutos você poderá quebrar um estado emocional enfraquecedor e recuperar seu poder cognitivo.

O Dr. Richard Moss propôs uma âncora para resgatar o EU e trazê-lo para o presente. Tome uma ou duas respirações e diga o seguinte:

1.Eu estou aqui agora...

2.Quem eu sou começa agora!

Resgate do eu e estado de presença
57:56

Ancorando, Acessando e re-acessando representações e estados ricos de recursos

Quando é importante controlar o conteúdo de um sistema de representação, como quando você está trabalhando com um ponto de decisão em uma estratégia, você precisará de uma maneira de assegurar o acesso e o re-acesso fácil a essa representação particular associada com esse ponto de decisão. Isto é realizado com um procedimento que nós chamamos de ancoragem. A maioria de vocês teve a experiência em que, na comunicação com os clientes, amigos ou associados, alcançaram um determinado nível de rapport e compreensão que era um recurso muito positivo para vocês dois. Mais tarde, entretanto, o fluxo de conversação, da discussão ou da negociação muda. A interação torna-se mais tensa ou difícil, e você deseja ter uma maneira de re-acessar as experiências positivas que vocês compartilharam antes. Ancoragem é um processo que permite que você faça isso.

A grande vantagem é a Plasticidade Neural nestes exercícios que muda as conexões e transforma você..

Âncoras para Neurotrainer - teoria e prática
01:08:54
Saida rápida de estados sem recursos como base para exponencialidade...
44:57

Gestão emocional para o Neurotrainer

Este é um treinamento para se tornar uma figura de autoridade. Nesta formação, você recebeu uma série de recursos para aumentar sua força e a confiança para ser uma figura de autoridade como um Neurotrainer e  para apresentar qualquer assunto.

Se você realmente quer ser um palestrante e um instrutor bem-sucedido, independentemente de qual carreira você deseja seguir, então você deve considerar em primeiro lugar a gestão emocional sua como Neurotrainer, pois o seu estado emocional determina os resultados que você obtêm como orador, pois Tudo que você fala é redundante, pois você é a mensagem..

Em segundo lugar, o meu principal conselho é praticar e praticar, pois de nada adianta o conhecimento de vanguarda se você recebeu se não colocar em prática.  Sem dúvida a prática fará de você um magnífico instrutor.

Gestão emocional para o Neurotrainer
20:51

O fim do fracasso

Muitos de nossos clientes tem muito medo de errar ou de fracassar, e isso os impede de avançar em suas ações e projetos. Mas a verdade é que fracasso não existe, o que existe é feedback. Então o segredo do sucesso passa a ser a persistência de formas diferentes até ter o objetivo alcançado. A história nos mostra que a diferença de quem tem o sucesso para quem não tem é unicamente não desistir e tentar de outras formas até conseguir. E seu sucesso depende de persistência...

Fracasso não existe
46:58
Autoestima - A importância para resiliência
15:16
Autoestima e permissão para palestrar
02:16:11

RECURSOS PARA SUPERAR AS ADVERSIDADES

Quer queiramos ou não, a adversidade faz parte da vida. Superar as adversidades é um dos maiores obstáculos que enfrentamos. Os problemas, sejam grandes ou pequenos apresentam-se a nós durante toda a nossa existência. Independentemente de quão animado, inteligente, ou contente estejamos no momento, independentemente de a vida nos correr às mil maravilhas, inesperadamente todos nós algumas vezes somos confrontados com problemas, lutas, desafios, dificuldades. É como se fossemos postos à prova, para vermos de que fibra somos feitos, como é que conseguimos enfrentar algumas situações catastróficas e angustiantes.

Não pretendo passar a mensagem que quanto mais adversidade melhor, nem sou apologista de que o sofrimento é algo de bom. Não, o sofrimento incapacitante não é benéfico. Ainda assim, não invalida que pensamos nele como uma realidade que acontece na vida de cada um de nós, certamente em número e intensidade diferentes de pessoa para pessoa. Quando acontece, aceitá-lo é uma parte da estratégia para nos livrarmos de mais sofrimento. Aceitá-lo pode constituir uma forma de nos reestruturarmos e seguirmos em frente.

Conforme Havelock Ellis escreveu: “A dor e a morte são parte da vida. Rejeitá-las é rejeitar a própria vida. ”

Na verdade, graças a Deus pela adversidade! Aprender a lidar e superar as adversidades, é o que nos faz ser quem somos. Cada desafio, a cada dificuldade que enfrentamos com êxito na vida serve para fortalecer a nossa força de vontade, confiança e capacidade de vencer os obstáculos futuros.

Heródoto, filósofo grego, disse:A adversidade tem o efeito de atrair a força e as qualidades de um homem que as teria adormecido na sua ausência. ”

Quando você responder de forma positiva e construtiva aos seus maiores desafios, as qualidades as forças e virtudes como, coragem, caráter, combatividade, esperança e perseverança emergem lá de dentro. É claro que, dado que somos humanos, é muito fácil cairmos na auto piedade, na injustiça da vida, ou na armadilha do “por que eu? ”. Quando fazemos isso, deixamos de reconhecer as oportunidades de sabedoria e de crescimento que acompanham a adversidade.

No entanto, assim que conseguimos ou nos permitimos pensar mais claramente, que somos capazes de deixar a vitimização autodestrutiva e pensamentos improdutivos, também ficamos mais capacitados para lidar com o que está diante de nós.

DICAS PARA SUPERAR A ADVERSIDADE

1. Esteja atento, e aceite que a adversidade é inevitável na vida

Como já foi referido, a adversidade faz parte da vida. Uma vez que nos aconteça algum infortúnio, não o aceitar ou resistir-lhe só vai fazer com que persista. Não quero dizer com isto, que sejamos passivos ou complacentes com a adversidade e que ao aceitá-la nada façamos para minimizar ou recuperar dela. Não é nada disso, o que quero dizer é que aceitar é um caminho para se desprender e reestruturar-se. É uma forma viável de procurar caminhos alternativos e seguir em frente.

Onde quer que possamos ir existe certamente alguma forma de adversidade, mesmo que não seja a nossa. Há inundações, tsunamis, pandemias, guerras e calamidades de todos os tipos. Mesmo dentro do seu próprio círculo de familiares e amigos há perda, morte e tragédia. Embora a dor seja inevitável, o sofrimento exacerbado é opcional. Tal, como por contraste a felicidade é possível mas é opcional. Então o que podemos fazer?

2. Construa os seus recursos internos

Antes que a adversidade o atinja, deve propor-se a trabalhar no seu equilíbrio emocional, através do desenvolvimento de sua inteligência emocional com recursos emocionais e cognitivos que dão sustentabilidade a inteligência emocional.

Quando você se torna consciente de que algumas dificuldades são inevitáveis, você pode preparar-se mentalmente para enfrentar as adversidades, semelhantemente ao sentimento de um soldado que vai para a guerra. Ele (ou ela) prepara-se física e mentalmente para qualquer possibilidade. Na maioria das vezes, quando você está preparado para o pior, o pior nunca acontece, ou é muito menos grave do que o previsto.

Atenção, não estou dizendo que nós devemos nos movimentar na vida sempre em alerta, a ver onde está o perigo ou com o sentimento de que estamos na eminência de nos acontecer algo de ruim. Não, isso não é benéfico, pelo contrário, pode ser contraproducente. Mas tal como um médico, enfermeiro, bombeiro, ou paramédico, ou você mesmo se prepara com um curso de primeiros socorros para agir em consonância quando for necessário salvar uma vida em aflição eminente, assim deveremos também fazer nós.

A preparação para reagir, para agir e saber como atuar em situações difíceis, é como um Kit de Primeiros Socorros para quando o “azar” nos bater à porta. Se tivermos e soubermos usar, certamente evitaremos danos maiores.

Outro recurso valioso é a autoconfiança. A Confiança que tudo vai dar certo, a esperança que sempre há uma luz no fim do túnel, e esperança que “este infortúnio também passará. ” Tudo na vida tem o seu lugar e propósito, cabe-nos a nós fazer essa gestão.

3. Construa os seus recursos externos

Construa um sistema de apoio baseado na família e nos amigos. Quando as coisas ficam difíceis, todos nós precisamos de encorajamento e apoio. Precisamos de alguém com quem conversar, alguém para ajudar a aliviar o fardo. Você ficaria surpreso ao descobrir quantas vezes um amigo teve uma experiência semelhante e pode ajudar a guiá-lo no momento difícil.

O fato de saber que um amigo está lá quando você precisa dele, pode ser muito reconfortante. Se a sua condição perante a adversidade não for ultrapassada, poderá gerar problemas psicológicos como a depressão ou ansiedade.

4. Aquilo que não mata nem sempre faz você mais forte

Desculpe Nietzsche, mas não posso concordar integralmente na afirmação, “o que não nos mata torna-nos mais fortes“, ela não é completamente realista. Por exemplo, se você não tiver construído e desenvolvido determinados tipos de resistência ou experiência suficientes para lidar com a dificuldade, a adversidade pode esmagá-lo. Por outro lado, se você tem resistência suficiente, se desenvolveu e trabalhou determinadas forças, então na verdade isso vai fazer você ficar mais forte. Como assim, você pergunta?

A Resiliência como qualquer músculo no nosso corpo é construída gradualmente e exponencialmente com a exposição repetida aos obstáculos e às forças externas. Não necessariamente, se você não tem prática no enfrentamento dos obstáculos (como quando você escolhe evitá-los), se você decidir ainda assim propor-se ao desafio de tentar, a coisa certamente correrá mal, um evento traumático pode derrubá-lo.

Como tudo na vida, a preparação é amiga da eficácia e do sucesso.

Para destacar este ponto, as pesquisas têm mostrado que crianças traumatizadas são mais, e não menos, prováveis de virem a sofrer novamente de algum tipo de trauma ou consequência negativa. Da mesma forma, aqueles que crescem em bairros difíceis têm uma propensão para o desequilíbrio emocional, tornam mais susceptíveis perante a adversidade, não se tornam mais resilientes, e são mais propensos a debater-se na vida.

5. Inspire-se e aprenda com os outros que têm que lidar com o sucesso e com a adversidade

Há muitas histórias e biografias em livros, séries e até mesmo na família que são inspiradoras, de pessoas que superaram obstáculos aparentemente intransponíveis. Eles triunfaram sobre as suas adversidades para viver uma vida produtiva e bem-sucedida, em vez de se renderem a elas.

Não quero com isto dizer que ao ver, ler ou assistir aos feitos dos outros os seus problemas ficam resolvidos, ou que isso diminuirá a dor ou o sentimento que tem. Provavelmente não, e essa não é a minha intenção.

Ao tomar consciência das estratégias e formas que essas pessoas acionaram e/ou utilizaram para fazer face aos seus problemas ou para ir ao encontro dos seus sonhos e objetivos, pode promover e estimular em si uma mudança de perspectiva face à sua situação. Esta mudança de perspectiva pode ser promotora para descobrir novos caminhos para a resolução das adversidades que por ventura você se encontra ou poderá encontrar.

Alguns exemplos de pessoas que ultrapassaram adversidades na sua vida:

Helen Keller: Perdeu a visão e a audição devido a uma febre misteriosa quando tinha apenas 18 meses de idade. Ela superou a surdez e a cegueira, tornou-se numa mulher forte e com formação e promoveu os direitos das mulheres.

Winston Churchill: Superou um problema de gaguez e fraco desempenho na escola, para se tornar primeiro-ministro do Reino Unido e um dos mais influentes líderes políticos do século XX. Ele também era conhecido pelos seus discursos poderosos e empolgantes.

Wilma Rudolph: Nasceu prematuramente, foi a vigésima de vinte e dois filhos. Ela superou uma pneumonia dupla, escarlatina e poliomielite para se tornar vencedora de três medalhas de ouro em pista nos Jogos Olímpicos de Roma em 1960.

Lance Armstrong: Superou o cancro nos testículos que se espalhou para o cérebro e pulmões (foi-lhe dito que ele tinha uma chance de apenas 40% de sobrevivência) para voltar e ganhar o Tour de France mais sete vezes!

J.K. Rowling: Nasceu numa família pobre, saiu de um péssimo casamento com um bebê e a viver da ajuda do governo, escreveu o seu primeiro livro de Harry Potter e foi rejeitado pela maioria dos editores até Bloomsbury Publishing acreditar no seu valor. Preciso dizer mais?

A determinação, superação e persistência permitiu que todas estas grandes pessoas ultrapassassem as suas adversidades e fossem bem-sucedidos. Se eles conseguiram fazer isso, certamente o resto de nós pode invocar a força e a coragem para pelo menos tentar superar as nossas adversidades!

Em síntese:

· Os tempos difíceis que acontecem na nossa vida, podem ajudar-nos a compreender e a apreciar os momentos em que as coisas nos correm bem.

· Olhe para as oportunidades de aprendizagem que todas as situações adversas contêm.

· Decida que a sua experiência vai lhe possibilitar crescer, sair mais forte ou proporcionar aprendizado. Dependendo da forma como você interpreta a situação, acha que a poderia olhar de uma outra forma, de preferência mais capacitadora.

Lembre-se que a adversidade faz parte da vida. Quando resolvemos enfrentar e superar, tornamo-nos especialistas em lidar com ela e, consequentemente, promovemos o triunfo sobre as nossas lutas do dia-a-dia.

Luis Lindner

Recursos para Superar as Adversidades
01:24:05

LIVE INTERNACIONAL: VENCENDO OS MEDOS E LIMITAÇÕES PARA AVANÇAR


Quando analisamos a nós seres humanos e vemos como facilmente conseguimos ter medo de algo e através disso nos limitamos, percebemos a necessidade de aprender a administrar nossos medos.

Muitas vezes os nossos medos nos impedem de seguirmos adiante e darmos o próximo passo.

Perguntas a questionar:

1- Qual é o seu maior medo?

2- O que te impede de seguir adiante?

3- Como compreendermos o motivo pelo qual estamos sendo limitados?

4- O que nos torna diferente? E outras questões mais ... Falaremos com Especialista Luis Lindner e o Dr. Pr. Helder Manuel.


Nesta Live eu sou entrevistado pelo Dr Helder Manuel da Angola – África, e falamos sobre alguns padrões que podem nos limitar e quais recursos nos faltam para podemos superar nossos medos e avançar..

Live Internacional: Vencendo os medos para avançar
01:27:47

Para ajudar você, coloquei essa palestra para sua modelagem. Os slides para você modelar estão em anexo.

O poder do estado emocional

Pense um pouco por um momento e responda: Quantas vezes na vida você tomou péssimas decisões por encontrar-se de mau humor ou abatido? Quantas vezes você teve um dia maravilhoso na qual parecia que estava tudo conspirando a seu favor?

Sim, é verdade, o seu estado emocional possui uma influência muito grande sobre sua vida, e pode ser determinante nos seus comportamentos, em muitos casos te levar a péssimos resultados se você se tornar refém dele, entretanto, o oposto também é verdadeiro, ou seja, você estando em um bom dia, ou sentindo-se poderoso pode ajudá-lo muito em seus resultados, em seu desempenho.

A boa notícia é que você não precisa mais ser refém do seu estado emocional, pois com a PNL aprendemos que você poderá sentir-se bem no momento que desejar.

Na PNL também aprendemos que cada um de nós é responsável pelo seu estado emocional. Se estamos alegres ou tristes, desanimados ou entusiasmados, isso não caiu de paraquedas, somos nós que estamos criando isso através da tétrade: foco, fisiologia, linguagem e crenças, é a fonte de todos os nossos estados, e a mudança ocorre através da alteração de um ou mais elementos da tétrade. Esse conhecimento pode nos tirar do papel de vítima e nos tornar mais proativos e no controle da nossa própria vida.

Também, a gestão de nossas emoções, a autoliderança e o conhecimento de como resgatar o Eu nos focos de tensão alterando ou quebrando um estado emocional enfraquecedor e acessando um estado rico de recursos através de âncoras, pode fazer de você uma pessoa muito mais feliz além de, sem dúvida, mais sensata e próspera, pois frequentemente muitas relações pessoais e profissionais são rompidas pela inabilidade de lidar com nossas emoções.

Pense mais um pouco, num soldado em um campo de batalha, a única chance que ele possui de sobreviver, além de seu treinamento e do seu arsenal pessoal, é definitivamente acreditar que pode vencer a batalha, pois qualquer outro pensamento poderá colocá-lo em apuros.

O mesmo se dá com um atleta, para vencer uma competição ele precisa vencer dentro de si primeiro. Alguns atletas que conquistaram o tão sonhado ouro olímpico, antes de vencer na prática, formularam em sua mente a vitória de muitas maneiras, imaginando, prevendo e superando todos os desafios e depois curtindo a vitória quando ainda nem ao menos eram conhecidos.

A tão sonhada alta performance está alicerçada na motivação intrínseca em primeiro lugar, na fé (certeza do sucesso). Toda pessoa que acredita ser incapaz, incompetente, inadequado, inferior, sem perspectiva, rejeitado, fora ou a margem da sociedade ou das possibilidades entre outros, permanece paralisado, ou na melhor das hipóteses aceita qualquer oferta, na maioria das vezes são as piores possíveis. Já a alta performance possui um papel fundamental para o ser humano, entre eles descantam-se o crescimento do Self em direção a níveis maiores de complexidade em função de dois processos psicológicos, a diferenciação e a integração. A diferenciação é um movimento em direção a uma maior individualidade que provoca distinção entre uma pessoa e outra e o movimento de integração é oposto, leva a união com outras pessoas e com o mundo, além de ampliar sua autoestima dando a impressão de estar vivendo acima de suas expectativas e das expectativas dos outros. (Fonte: Mihaly Csikszentmihalyi (1988, 1992, 1993) (Anne Wells – Tese de doutorado da Universidade de Chicago (1988))

Por Luis Lindner Master Coach e Trainer

Observação: Os slides da palestra para você customizar e ministrar estão nos anexos desta aula.

Palestra Customizável: Gestão Emocional e Alta Performance
01:07:53

Inteligência emocional é um conceito relacionado com a chamada "inteligência social", presente na psicologia e criado pelo psicólogo estadunidense Daniel Goleman. Um indivíduo emocionalmente inteligente é aquele que consegue identificar as suas emoções com mais facilidade.

A inteligência emocional se traduz na possibilidade do ser humano de aprender a lidar com as próprias emoções e usufruí-las em benefício próprio. Aprender, também, a compreender os sentimentos e comportamentos do outro.

Os cinco pilares da Inteligência Emocional

1 – Conhecer as próprias emoções

O primeiro passo é se conhecer, analisar suas emoções e as ações que você faz em resposta aos estímulos.

Essa é a chave da inteligência emocional!

Mas você deve estar ciente de que a Inteligência Emocional é um processo gradual e que varia de pessoa para pessoa.

Não apresse as coisas, não se desespere. A nossa dica para você conhecer melhor as suas próprias emoções é colocar seus sentimentos e suas ações em um papel e, depois, refletir profundamente sobre isso.

2 – Controlar as emoções

Tenha em mente que todos nós passamos por momentos estressantes na vida, ou nos sentimos ansiosos por algum motivo. Aprender a lidar com as emoções e controlá-las te colocará na direção certa conforme cada situação, e fará toda a diferença entre o equilíbrio e a disfunção.

Você deve evitar pensar de imediato em um resultado negativo. Seja otimista, tente enxergar sempre o lado positivo das coisas e lembre-se que cada situação possui diversas saídas, basta você procurá-las.

E quando estiver sob pressão, a coisa mais importante é tentar manter a calma. Encontre uma distração, realize uma atividade prazerosa e canalize sua ansiedade.

3 – Automotivação

Lembre-se que pensar antes de tomar as decisões lhe trará diversos benefícios e evitará o conflito com os seus pares e o arrependimento de seus atos.

Ao saber utilizar adequadamente suas emoções você chegará aos seus objetivos.

Nunca perca a esperança! Tudo é possível, desde que você corra atrás daquilo que você quer de maneira consciente e sem passar por cima do outro!

Assim, você deve aprender a responder aos seus estímulos, um processo consciente que envolve analisar como você se sente, para depois decidir como você quer se comportar para atingir suas metas.

Em contrapartida, temos o processo inconsciente de reagir, onde experimentamos um gatilho emocional, expressando essa emoção de maneira instantânea, o que gera arrependimentos e desvios de nossas metas.

4 – Empatia

Aprender a se colocar no lugar do outro, de reconhecer as emoções dos outros e entender seus comportamentos, nos torna mais sensíveis e abertos.

5 – Saber se relacionar interpessoalmente

Outro ponto chave para o sucesso é saber ter boas relações, guiando as emoções dos outros. Isso criará um ambiente positivo a sua volta, melhorando não só a sua qualidade de vida, mas também contagiando aqueles ao seu redor.

Observação: Os slides da palestra para você customizar e ministrar estão nos anexos desta aula.

Palestra Customizável: Inteligência Emocional e Resultados
01:18:29
A causa da maioria dos problemas e conflitos
05:21

Análise Transacional ou Egograma

Uma ferramenta para otimizar seus relacionamentos Nunca se falou e buscou tantos recursos para o “autoconhecimento”. O homem vem procurando, cada vez mais, conhecer a si mesmo para alcançar o equilíbrio, a realização e o melhor desempenho em suas relações interpessoais. Nós somos os protagonistas de nossas histórias e isto é fato, porém, também é real que somos influenciados pelo nosso meio e influenciadores do mesmo, cada qual em seu grau, é um possível formador de opinião em seu pequeno ou grande círculo de relacionamento.​​

Diante desta premissa, percebemos o quão importante é a qualidade de nossas relações, a maneira como transmitimos nossas ideias e como nos comunicamos, e fazendo uma autoanálise podemos perceber que nem sempre conseguimos transmitir nossa mensagem de forma clara e sem conflitos de entendimento, a pergunta é: “Será que o outro ouviu exatamente o que eu falei ou houve algum ruído em nossa comunicação que pudesse distorcer a mensagem”? Pois bem, a Análise Transacional, técnica psicológica sobre o pensamento, o sentimento e o comportamento das pessoas é embasada no fato de que interagimos fazendo uso de um de nossos três estados de ego: Pai, Adulto ou Criança, a questão é: a informação pode ser a mesma mas, dependendo do estado de ego do emissor e do receptor da informação, ela pode ser distorcida e gerar conflitos desnecessários.

Veja alguns exemplos:

1. Sempre que utilizarmos o estado de ego Pai, controlador ou protetor, fazemos um convite ao outro que se manifeste através de seu estado de ego Criança, submisso ou rebelde. Esta situação pode ser favorável no estabelecimento de limites necessários numa relação pai e filho, mas extremamente ruim para um ambiente de trabalho, onde aquele que estiver atuando como Criança poderá ficar reprimido e desmotivado a crescer e manifestar ideias inovadoras, por exemplo.

2. Quando o estado de ego Criança se manifeste, trazendo o outro para o estado de ego Pai, a busca pode ser voltada para uma relação de proteção totalmente permissível e favorável, ou pode-se buscar uma cumplicidade, ou seja, não assumir seus próprios atos, uma fuga de responsabilidades.

3. Quando utilizamos o estado de ego Adulto, fazemos um convite ao outro para trazer o seu Adulto também ao diálogo elevando-se, assim, o nível dessa relação, seja ela no ambiente profissional familiar ou mesmo afetivo, são aqueles momentos onde uma conversa racional buscará soluções discutidas e compartilhadas para uma decisão otimizada. Se nós conseguirmos detectar o estado de ego do outro, teremos mais facilidade em alterar o nível da conversa, pois poderemos aceitar o convite ou buscar uma inversão do estado de ego, buscando aquele que consideramos mais adequado para cada situação/relação. É importante ressaltar que não estado de ego melhor ou pior, certo ou errado, todos são saudáveis e plenamente aceitáveis, o que difere é o nível e a utilização dos mesmos. ​

Preview 13:48
Comunicação e feedback
21:10

Flow - Construindo um estado de fluxo, motivação e alto desempenho como Neurotrainer

Fluxo (do inglês flow) é um estado mental de operação em que a pessoa está totalmente imersa no que está fazendo, caracterizado por um sentimento de total envolvimento e sucesso no processo da atividade. Proposto pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi , o conceito tem sido utilizado em uma grande variedade de campos.​

Benefícios do estado de fluxo

· Crescimento pessoal: Crescimento do Self em direção a níveis maiores de complexidade em função de dois processos psicológicos, a diferenciação e a integração. A diferenciação é um movimento em direção a uma maior individualidade que provoca distinção entre uma pessoa e outra e o movimento de integração é oposto, leva a união com outras pessoas e com o mundo. (Fonte: Mihaly Csikszentmihalyi (1988, 1992, 1993))

· Fortalecimento da autoestima: Uma das consequências mais interessantes do estado de flow são os relatos das pessoas pesquisadas que experienciavam o estado de fluxo, relatando que após o estado de flow, sua autoestima ficava mais alta do que quando não tinham tal experiência. As pessoas pesquisadas relatavam que se sentiam muito melhor e que tinham a impressão de estarem vivendo acima de suas expectativas e das expectativas dos outros. (Fonte: Anne Wells – Tese de doutorado da Universidade de Chicago (1988))

Desenvolvi para você uma ferramenta exclusiva que é o Flow Assessment, para você poder aplicar em seus coachees ou clientes.​ Veja em anexo.

Preview 11:02

Olá meu colega Coach..

Parabéns por ter chegado até aqui, mas você pode ir além!

O que você acha de se tornar um Supercoach, ou seja, um Master coach e Trainer, e ser mentoreado para aprender a ganhar dinheiro com esses conhecimentos, aprendendo a vender seus serviços e ainda promover uma transformação na vida das pessoas?

Se quiser saber mais, entre em contato pelo e-mail: luis@luislindner.com.br

ou contato@supercoach.com.br.

Ou Acesse: http://supercoach.com.br/

Minha meta para você que quer viver de Coaching e outros serviços prestados com os recursos que entregamos, é  levar você até um faturamento de 5 à 10 mil reais pelo menos..

Temos uma condição especial para você..

Se desejar também, ao final desta formação você pode contratar nossa mentoria para maior resultados na aplicação dos conteúdos apresentados neste curso.

Baixe aqui o Aplicativo SUPERCOACH: http://bit.ly/appsupercoach

Um universo de novas oportunidades e possibilidades espera por você..

AULA BÔNUS: CONVITE PARA UPGRADE, TORNE-SE UM SUPERCOACH
08:28