Como falar em publico - O orador fora do comum
4.4 (7 ratings)
Course Ratings are calculated from individual students’ ratings and a variety of other signals, like age of rating and reliability, to ensure that they reflect course quality fairly and accurately.
21 students enrolled

Como falar em publico - O orador fora do comum

Falar em publico sem medo, sem inibição, eles irão transformar o medo de falar em publico em prazer ao falar em publico
4.4 (7 ratings)
Course Ratings are calculated from individual students’ ratings and a variety of other signals, like age of rating and reliability, to ensure that they reflect course quality fairly and accurately.
21 students enrolled
Created by Samuel Procopio
Last updated 12/2018
Portuguese
Portuguese [Auto-generated]
Current price: $28.99 Original price: $44.99 Discount: 36% off
1 day left at this price!
30-Day Money-Back Guarantee
This course includes
  • 1 hour on-demand video
  • 1 downloadable resource
  • Full lifetime access
  • Access on mobile and TV
  • Certificate of Completion
Training 5 or more people?

Get your team access to 4,000+ top Udemy courses anytime, anywhere.

Try Udemy for Business
What you'll learn
  • Falar em publico sem medo, sem inibição, eles irão transformar o medo de falar em publico em prazer ao falar em publico
Requirements
  • Ser apto para aprender, desaprender e reaprender
Description

Já pensou em fazer um curso revolucionário? Ja imaginou participar de um curso quem tem o poder de promover a sua carreira? Ja pensou em um curso que te faz vencer o medo de falar em publico em poucas horas? este curso esta ao seu alcance ele se chama; O orador fora do comum. desenvolvido pelo pastor Samuel Procopio, que tem quase 25 anos de experiencia com a arte de falar em publico. Um homem preparado como poucos para ensinar as tecnicas de comunicacao a todos os que desejam crescer, rompendo todos os limites. Chegou a sua vez de fazer a diferença.

Who this course is for:
  • Todos aqueles que usam a comunicação, atraves da linguagem verbal e gestual
Course content
Expand all 11 lectures 50:03
+ Introdução
1 lecture 01:45

INTRODUÇÃO

 “A música seria a mais belas das artes, se não fosse a Oratória."

Este trabalho surgiu no intuito de auxiliar aos que ministram a palavra de Deus e desejam desenvolver-se colocando em pratica algo que tem sido muito pronunciado atualmente, a oratória que nada mais é que a arte de falar em público. 

Diante desta conjuntura propõe-se como filosofia trabalhar a habilidade de comunicação e usufruir de vantagens estratégicas nas situações do cotidiano, sejam profissionais, sociais ou efetivas.

A proposta está em fornecer aos alunos os instrumentos e ferramentas para que possam superar o medo, adquirindo autoconfiança e a transformar o desconforto em prazer ao falar. Com isso será proporcionado um treinamento para que logo após o término do curso, os alunos possam dar prosseguimento no desenvolvimento de seus recursos pessoais, com harmonia e segurança.

É mister ressaltar que o orador não nasce feito, e que a arte de falar bem não é algo que surge do dia para noite, há a necessidade de se aprimorar diariamente o que se aprende através da pratica. Por isso, o progresso da cada aluno está diretamente ligado ao seu treinamento continuo e a sua força de vontade em aproveitar as oportunidades de se expor e falar. De forma geral todos podem atingir o nível da excelência em suas preleções e obter saudável desenvoltura comportamental em suas vidas.

Preview 01:45
+ O que é oratória?
1 lecture 01:54

AFINAL, O QUE É ORATÓRIA?

 

“Segue ao pé do Bom Pastor cada dia. Nele tens todo o sustento. Tudo que necessitas na jornada de cada dia.” (N.L. Zinzendorf)

Ressalta-se que oratórianada mais é do que a arte de falar em público de forma elegante, precisa, fluente e atrativa.

Da oratória extrai-se a eloqüênciaque é o dom natural da palavra, desenvolvido de modo coordenado, coerente e fluente. Nesta conjuntura há a retórica que é o estudo teórico e pratico das regras que desenvolvem e aperfeiçoam o talento natural da palavra, tendo por base a observação e o raciocínio.

Preview 01:54
+ Oratória - grandes nomes da oratória
1 lecture 05:51

3. GRANDES ORADORES

“Deus ajuda aqueles que se ajudam.” (Benjamim Franklin)

3.1 JESUS CRISTO

Uma das formas que utiliza-se  para a propagação do evangelho de Cristo é a pregação. Jesus a exemplo disto foi um pregador distinto de todos os que dantes dEle pregaram a palavra  e os que logo após a sua vinda ministraram e ministram até os dias hodiernos  a sua santa e inerrante palavra. O Mestre não tinha púlpito, na maioria das vezes era improvisado sobre um monte, na popa de um barquinho, junto ao mar da Galiléia; nas tribunas das sinagogas ou em casas de amigos. O ministério da pregação tornou-se algo muito dinâmico e expressivo na vida de Jesus.

3.2 ARÃO

O maior orador de todos os tempos Arão, judeu nascido no Egito durante um período de opressão. Este era tão bem conceituado na arte da oratória, ao ponto de ser reconhecido pelo próprio Deus como sendo um excelente orador (Êx. 4.14). O interessante é que a historia bíblica e as pessoas vão concluir que, através da arte da oratória se consegue prestigiar bem como desprestigiar. A bíblia menciona que houve uma ocasião em que Arão conseguiu persuadir toda a nação judaica, a adorar um bezerro de ouro que ele próprio confeccionou. Para conseguir convencer o povo a adorar o bezerro ele utilizou-se de um excelente discurso.

3.3 DEMÓSTENES

Este estadista foi considerado o maior orador grego. Inicialmente, como meio de vida, escrevia discursos para serem lidos nos julgamentos. Era conhecido por sua timidez e gagueira. Apesar de não possuir grandes dotes físicos ele revelou uma extraordinária força de vontade e disciplina para superar estes obstáculos, impondo a si próprio um treinamento muito severo e rígido. Declamava e discursava com a boca cheia de pedras e conchas, em frente ao mar. Para o fortalecimento da voz ele falava mais alto do que o barulho das ondas. Com isso conseguiu obter pronuncia perfeita, voz possante e pronuncia invejável. Projetou-se como orador político, suas mais famosas obras as serie de discursos Filipicas e de Corona.

3.4 CÍCERO - MARCOS TULLIUS E CÍCERO

Intitulado como o maior orador romano e um excelente prosador. Cícero foi o que mais influenciou os oradores dos dias hodiernos. Sua extensa obra é reconhecida pelos variados discursos, pelos tratados filosóficos e retóricos, pelas cartas e poemas existentes. Destaca-se, na vida desta grande orador, as famosas coletâneas de discursos Verrinas e Catlinarias.

Preview 05:51
+ você pode ser um orador
1 lecture 07:35

4. VOCÊ PODE SER UM ORADOR!

“Se parares cada vez que ouvires um cão, nunca chegarás ao fim do caminho.” (autor desconhecido)

 

Todas as pessoas podem fazer a diferença como um orador diferenciado dos demais, todos possuem esta capacidade de desenvolver a arte de falar em publico. Isso desde que não haja impregnado alguma deficiência insuperável.

Ninguém por mais que seja bem desenvolvido em suas faculdades mentais nasce orador, porém, todos os que são, são porque desenvolveram esta capacidade, que a seguir será discorrido.

4.1 O MAIOR INIMIGO DO ORADOR

O maior inimigo do orador não é a sua aparência, não são quem sabe suas dificuldades de esboçar mensagens, o maior inimigo não é a voz que não está segundo o patamar estabelecido pela sociedade como sendo a voz ideal. Todos estes podem ser inimigos do orador, mas não é o maior. O maior inimigo do orador é intitulado de MEDO. Mas, onde será que origina-se o medo?

Na maioria das vezes o medo surge devido às conclusões precipitadas, que vem da imaginação pessimista e negativas antecipada à apresentação. O medo é resultado também de falta de conteúdo, quando surge a oportunidade de falar e o orador não sabe o que dizer e na maioria das vezes não falar nada, acaba enrolado as pessoas até o termino da mensagem que por sua vez não acrescenta nada aos ouvintes.

O medo tem sua origem no dialogo interno desequilibrado, ex: será que conseguirei sair bem nesta apresentação? Há! eu penso que não nasci para fazer isto. Há a necessidade de se manter o dialogo interno equilibrado, pois poderá trazer sérios prejuízos na realização de um boa prédica.

4.1.1 Como controlar o medo de falar em público?

A resposta é bem mais simples do que se imagina. Só se controla o medo de falar em publico se preparando e estudando a cerca do assunto, treinando com o espelho, câmara de filmagem, gravador de voz, etc.

4.1.2 Como controlar o nervosismo?

Só existe uma forma de controlar o nervosismo que é utilizando-se de exercícios de respiração com o corpo solto.

Preview 07:35
+ Gestos
1 lecture 06:20


5.3 GESTOS

Os gestos são os movimentos do corpo. Estes são de um grau de importância muito grande no desenvolvimento de uma prédica com os resultados almejados, por isso há a necessidade de se utilizar destes movimentos com naturalidade e consciência para não se provocar devaneios no auditório.

Existem dois tipos de comunicação – a comunicação verbal e a comunicação não verbal que não se utiliza da voz para se comunicar. Um estudo realizado pelos norte americanos concluiu que os gestos carregam a maior porcentagem do potencial de um discurso, veja a seguir de forma mais detalhada cada um destes fatores.

Ø  Palavras: são as responsáveis por 7% da capacidade de convencimento de um discurso;

Ø  Voz: é a responsável 38% da capacidade de convencimento de um discurso;

Ø  Gestos: estes representam 55% da capacidade de convencimento de um disrcurso.

Com base nesta pesquisa percebe-se que os gestos são os responsáveis pela maior porcentagem de convencimento na transmissão do discurso. Por esta razão é necessário tomar muito cuidado com eles, principalmente com os prejudiciais que são: balanço excessivo do corpo, movimento desordenado constantemente, estes gestos indicam insegurança, nervosismo e falta de convencimento e falta de habilidade.

Estas atitudes atrapalham o poder de persuasão ou convencimento do orador durante a apresentação do discurso, necessário que o orador seja atento aos gestos e também atento aos membros do corpo, cabeça, ombros, braços, mãos e pernas.

5.4 CABEÇA

A posição da cabeça representa o ajuste de todo o corpo. É considerando a importância da cabeça, que ressalta-se que esta em momento algum durante a prédica deve ficar inclinada para um dos lados do corpo, não deve ficar excessivamente erguida e nem excessivamente inclinada; quando fora do nível a cabeça causa uma desarmonia em toda a postura.

Na maioria das vezes quando a cabeça está excessivamente baixa indica inferioridade, desanimo, angustias e falta de vontade para se pronunciar. Os gestos demonstrados pela cabeça são muito importantes para afirmar e para negar.

5.5 OMBROS

Conforme já mencionado anteriormente os ombros são de grande valia para o desenvolvimento da postura e estes devem sempre estarem bem alinhados.

5.6 BRAÇOS

Os braços durante uma prédica, não devem ficar cruzados, pois isto demonstra para a platéia que o orador está fechado para receber idéias. Se o discurso for interativo, demonstra ao publico ouvinte altivez, desinteresse pelo auditório e superioridade. Os braços não podem ficar em constantes movimentos demonstrando um mau hábito ou irritabilidade.

5.7 MÃOS

As mãos tem sido a causa de preocupações de muitos ministros da palavra do Senhor, muitos não sabem a posição que devem ter, onde deve-se deixá-la durante a apresentação. Na arte da oratória não existem regras quanto ao posicionamento das mãos, mas todavia existem dicas que podem auxiliar no bom uso das mãos a exemplo disto menciona-se o ponto zero.

Os movimentos das mãos transmitem uma série de mensagens que a seguir são descritas:

Ø    Mão aberta com a palma voltada para cima significa disponibilidade para recebimento e interesse pelo assunto. Com a palma voltada para baixo com alguns resumidos movimentos indica pedido de calma;

Ø    Mão aberta com a palma voltada para baixo com movimentos para lateral indica rejeição, afastamento e remoção;

Ø    Mão aberta com o polegar pressionado indica força, vigor e energia.

5.8 PERNAS

O posicionamento das pernas tem sido um fator de essencial valor na condução do discurso. O adequado posicionamento das pernas indicam maturidade, enquanto que mau posicionamento das mesmas indicam imaturidade do ministrante. Durante a exposição da palavra é mister evitar algumas coisas que a seguir são detalhadas:

Ø  Deve se evitar o balanço ou a batida das pernas, pois isto indica nervosismo;

Ø  Cabe evitar apoiar o corpo sobre uma das pernas, pois isto indica falta de habilidade

No uso correto das pernas o correto é manter a sola do pé inteira no chão, transmitindo a sobriedade, o mau posicionamento das pernas acarreta sérios prejuízos no processo da comunicação. 


Gestos
06:20
+ Voz
1 lecture 05:56

5.9 VOZ 

A voz tem sido um importantíssimo instrumento no desenvolver das ministrações. A voz carrega o raio X da alma, é por causa disto que por telefone por vezes se consegue perceber o estado emotivo da pessoa na qual se está falando, isto só é possível por causa da voz e da sua tonalidade.

A voz indica diretamente ou indiretamente a dor que perscruta no ser das pessoas, esta também demonstra alegria, desanimo nervosismo e tristeza. São poucos os que conseguem disfarçar a voz para esconder os sentimentos. A tonalidade da voz constitui um fator indispensável na comunicação a exemplo disto a seguir são destacados alguns pontos essenciais de serem observados durante a prédica.

Ø  Falar alto tem sido um comportamento típico de quem procura mesmo sem querer chamar a atenção dos que estão a sua volta, na maioria das vezes estas atitudes estão diretamente relacionadas a imaturidade de muitos que não procuram se informar para o desempenho eficaz e eficiente da prédica;

Ø  Falar muito baixo quando utilizada sem cuidados indica em sua maioria medo, insegurança, sentimento de impotência perante os ouvintes.

Ø  Falar com mansidão está associada a tristeza ou a alguma raiva escondida ou sentimento de ser um orador desinteressante.

Diante destas questões é primordial que a voz deve se moderada, demonstrando a firmeza e a sabedoria de quem fala. Não pode ser monótona, pois assim finda cansando o auditório em pouco tempo, a voz é um recurso importantíssimo na condução de uma mensagem.

Diante desta conjuntura o que é necessário fazer para melhorar a voz? É bem simples, primeiramente é importante utilizar bem a respiração, intensidade, velocidade e entonação, a seguir são detalhados cada um desses de modo que facilite o entendimento.

Ø  Respiração – para que a voz do orador seja agradável é mister que respire de forma correta. Existem oradores que costumam falar quando estão inspirando, e continuam falando mesmo depois de o ar haver acabado, não utilizando o ar de forma correta. Deve-se durante a fala utilizar-se do diafragma.

Ø  Intensidade –é de primordial valor fazer-se treinamentos para não pronunciar as palavras aos berros, nem sussurros desordenados para o auditório, pois estas duas maneiras se pronunciar pode irritar o auditório gerando perda de interesse de ouvir o orador, levando-os a desviar a sua atenção do conteúdo concentrando-a nos motivos dos berros e dos sussurros.

Ø  Velocidade-cada tipo de discurso exige uma velocidade determinada na pronuncia das palavras. Existem quatro graus de velocidades mais utilizados a rápida, a muito rápida, a lenta e a muito lenta. Vejamos cada uma dessas a seguir.

 

                                  I.            Rápida – usada para festividade de jovens e para reuniões de avivamento;

                               II.            Muito rápida –utilizada para narrações de jogos;

                            III.            Lenta –usada para mensagens reflexivas como poesias e contos;

                              IV.            Muito lenta –utilizada para provocar o sono na platéia.


Voz
05:56
+ Vocabulario
1 lecture 03:29

VOCABULÁRIO

Questões relacionadas ao vocabulário são de indispensável valor na comunicação. Pois é através dele que se transmitem as idéias. Quando o vocabulário é deficiente jamais se consegue transmitir o que se pensa e imagina.

O vocabulário ideal é aquele que não é difícil e nem truncado, bem como não é complicado ou excessivamente sofisticado. O vocabulário não deve ser pobre e vulgar – o auditório não é atraído por palavras bonitas, mas sim por um bom discurso. O melhor vocabulário é aquele que é compreendido por todas as classes sociais e não apenas por algumas, o vocabulário deve ser semelhante ao utilizado nos telejornais.

vocabulario
03:29
+ 6 coisas que não podem faltar
1 lecture 04:26

6.  SEIS COISAS QUE NÃO PODEM FALTAR EM UM ORADOR

 

             I.                Naturalidade– o orador deverá se esforçar o máximo que pode para transmitir aos ouvintes a beleza e a naturalidade, para que jamais se torne um orador robotizado;

           II.                Humildade – o orador deve ser simples, jamais deve demonstrar soberania ou soberba, porque estas atitudes provocam resistência no auditório;

         III.                Conhecimento – quem não tem o que dizer só tem um direito que é o de ficar calado;

          IV.                Entusiasmo – o orador precisa transmitir ao auditório calor humano, sempre vibrante durante o discurso;

            V.                Habilidade – o orador deve portar-se com platéia demonstrando que é um bom comunicador e que sabe o que está fazendo;

          VI.                Estilo – o orador não deve se vestir como um palhaço, papagaio, nem como um andarilho, de forma que a veste chame a atenção do auditório do que a sua mensagem, mas também não deve exagerar na elegância.

6 coisas que não podem faltar
04:26
+ Cuidados com os tópicos
1 lecture 03:56

7. CUIDADOS COM OS TÓPICOS DAS MENSAGENS

Ø   Fortes 

Ø   Médios 

Ø   Fracos

O orador em momento algum deve começar bem e terminar mau o seu discurso, este precisa sempre ter ao final da apresentação algo melhor do que no inicio da mesma. Para que tais medidas sejam implementadas com êxito na prédica é de primordial valor saber dividir bem a mensagem e fazer uma boa apresentação dos seus tópicos. É aconselhável usar o tópico que tem o conteúdo mediano primeiro, o tópico fraco no meio do discurso e o tópico forte por ultimo – no final do discurso; agindo desta forma o final da mensagem será melhor do que o inicio.

Torna-se de primordial valor que o orador fique atento com as ilustrações, não as usando em excesso, bem como não permitir que uma ilustração ocupe um tempo demasiadamente grande de maneira que as ilustrações sejam maiores que o discurso. 

cuidados com os tópicos
03:56
+ 3 maneiras de transmitir uma mensagem
1 lecture 06:04

8. TRÊS MANEIRAS DE TRANSMITIR UMA MENSAGEM COM SUCESSO

             I.                Elogiando o auditório – esta desarma o auditório e o torna mais receptivo a mensagem;

           II.                Fazendo uma boa introdução –esta deve ter o motivo, objetivo e lucro:

Ø   Motivo – este diz respeito ao porquê do discurso ou porque do tema escolhido para ser transmitido;

Ø   Objetivo –este visa o que se almeja alcançar através da transmissão da mensagem;

Ø   Lucro –visa mostrar ao auditório os objetivos que o auditório terá ao ouvir a mensagem a ser transmitida. Jamais deve-se esquecer que o mundo onde vive-se é dominado pelo interesse no lucro – quanto maior o lucro maior o interesse humano.

 

         III.                Observar o publico alvo no discurso – uma exemplificação deste caso sã os jovens que gostam de ouvir mensagens desafiantes, que falam sobre sucesso e o futuro, já os idosos preferem ouvirem mensagens que falam sobre o passado, historias antigas, etc. Enquanto que o publico feminino gostam mais de ouvirem sermões sentimentais ou emotivos.

 

 

3 maneiras de transmitir uma mensagem
06:04